Friday, September 23, 2005

poema Instante mágico

Instante mágico

A minha dor serenou
Em um minuto mágico
Ao ver teus a me fitar
Uma faísca de luz fulgura
Teus olhos acendem
Abrindo uma fenda
Que me conduz a tu alma.
Angelical de divina beleza
Instante de magia
Poesia sem palavras
Gestos que rimam
Olhos que falam
Clima que acaricia
Num instante de magia
O vento sopa teus cabelos
Caído sobre os ombros
Que iniciam um suave bailado
A luz filtrada entre eles
Só aumenta a sua luz
Em concordância de beleza
Acrescentamento da luminosidade
Teu rosto acende mais...
Um sorriso lente abrisse
A luz que emanou de teu sorriso
Iluminou minha alma
Como um fluido de pujança
Percorreu meu corpo
Substituiu meu sangue
Acelerou meu coração
Invadiu meu espírito
Trouxe-me a vontade de viver
A pouco perdida ou esquecida
Momento de inesquecível agrado
Palavras não tem a eloqüência
Para noticiar o que dizem teus olhos

0 Comments:

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home